Thursday, October 11, 2007

Rissóis ou girassóis?



Há uns anos atrás fui a um arraial na Lomba do Botão, Povoação, S. Miguel, Açores. Depois de muita rambóia (leia-se dez imperiais e 3 shots de vodka) decidi que seria melhor aconchegar o estômago com qualquer coisinha antes que fosse dançar para cima do mini-palco onde uma sósia do Roberto Leal tocava orgão e cantava La Cucaracha.
Comecei por tentar primeiro os sítios com aspecto mais razoável e sem baratas mas os preços eram completamente descabidos. Passados 40 segundos de incessante procura em que o desalento e o desespero se apoderavam de forma feroz da minha pessoa, quando vi uma pequena barraquinha com um senhor barrigudo e com grande bigodaça, ambos iluminados pela fraca luz do candeeiro de rua. A barraca tinha uma plaquinha a dizer: “ Barraca do António” e não tinha nenhum cliente. O senhor olhava pasmado para o vazio e com a boca escancarada com baba a escorrer como se pensasse: “por que raio fui dar ouvidos à Isolete e agora estou aqui a fazer esta triste figura!”. Dirigi-me para a barraquinha como se soubesse que o meu destino gastronómico ali se encontrava.
- Boa noite. Tem cachorros?
- Não!
- E hambúrgueres?
- Não!
- E sandes?
- Não!
- E tremoços?
- Não!
- Então o que é que tem que se coma?
- Tenho Teryaki de carneiro com requeijão da Bavária e também tenho ali uma coisa que ninguém pede porque ninguém sabe o nome.
O homem apontou para uma pequena cesta de vimes atrás de si cheia de rissóis.
- Rissóis?? – perguntei eu espantada.
Os olhos do homem brilharam de júbilo como se estivesse a ouvir a Maria a cantar o “ The Sound of Music” no topo dos Alpes.
- Girassóis?? Girassóis?? – repetiu o homem como se tivesse encontrado um novo alento na sua vida.
Quando o ia a corrigir ele interrompeu-me e disse-me:
- Como foi a menina a dizer-me o nome disto vou dar-lhe cinco de graça!
Como estava faminta e assim aproveitava o dinheiro para mais umas bejecas decidi deixar os rissóis como girassóis. Também quem sou eu para tirar a felicidade a alguém e aquele homem estava nitidamente mais feliz que nunca.
Fui dançar para um Retiro e passado algum tempo decidi passar pela barraquinha para cravar mais uns “girassóis” e ensopar a bebida do estômago. Qual a minha surpresa quando ao aproximar-me da barraquinha estava uma fila enorme de pessoas que comentavam em voz alta: “ os girassóis do senhor António são incríveis!!”
Fiquei contente pelo senhor António e por ter praticado a minha boa acção do dia. Como aquele pequeno povo já não precisava mais da minha ajuda decidi partir rumo ao Porto para tentar ensinar as pessoas a dizer vaca em vez de baca.

No comments: